Desde 2016, Petrobras reduziu em 74% dos investimentos na proteção do meio ambiente

😰 Desde 2016, a Petrobras tem passado por um sucateamento progressivo. O objetivo é torná-la frágil e pequena para que, assim, seja mais fácil efetivar a sua venda.

 
❗ Uma das áreas que mais tem sofrido cortes é a de Segurança, Meio Ambiente e Saúde (SMS), que teve uma redução de 74% do orçamento para projetos, pesquisas e inovações.
 
🌍 Isso traz impactos diretos ao meio ambiente. Afinal, a empresa realiza operações de alta complexidade, que demandam uma política sólida de segurança e responsabilidade para reduzir os impactos de uma atividade que já é naturalmente cheia de riscos.
 
💥 Porém, com menos recursos, os protocolos de segurança são diminuídos e há um aumento na carga de trabalho dos petroleiros, potencializando os riscos de acidentes.
 
👀 A situação é muito semelhante com o que aconteceu com a Vale (antes Vale do Rio Doce), em Minas Gerais. Aos poucos, a antiga estatal foi sendo sucateada para, enfim, ser entregue à iniciativa privada.
 
⚠ Com a venda, os investimentos em segurança foram ainda menores, ocasionando nos desastres de Mariana (MG) e Brumadinho (MG). Verdadeiros crimes causados pela negligência e pela ganância.
 
❌ As tragédias deixam claro o que acontece quando o lucro de poucos é colocado acima da segurança e da vida de pessoas.
 
✊ Por isso, é urgente que o governo brasileiro volte ampliar as ações preventivas e priorizar a busca pelo desenvolvimento sustentável e por uma vida melhor para os brasileiros.
 
#PetrobrasFicaEmMinas #OPetróleoÉNosso #PetrobrasFica
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *