Combustíveis e gás de cozinha poderiam ter “preço justo” Mas, o governo não quer

💚 A Petrobras foi criada estatal para abastecer o país com combustíveis e gás de cozinha pelo menor preço possível, dentre outras demandas.

E com a descoberta do Pré-sal os valores poderiam ser muito mais baixos: suas reservas são imensas e abundantes, e o custo de extração é baixíssimo!

😄 Se o governo quisesse, em vez de ficar refém do mercado internacional, a Petrobras poderia adotar uma política de preço justo para reduzir o impacto da sua parte no preço final dos combustíveis e do gás (que em junho de 2021 era em torno de 30%). Uma política que não prejudicaria a Petrobras (ela continuaria lucrativa), seria mais econômica para os brasileiros e, ainda, reduziria os custos tributários (que são proporcionais aos preços dos bens e serviços vendidos).

Veja o preço médio que pagamos em junho de 2021 🆚 o preço justo que poderíamos pagar⤵

➡ Gasolina: R$ 5,68 🆚 R$ 3,10 a 3,60 (preço justo)

➡ Diesel: R$ 4,50 🆚 R$ 2,90 a R$ 3,50 (preço justo)

➡ Gás de cozinha: R$ 87,00 🆚 R$ 40,00 a R$ 50,00 (preço justo)

O preço justo só não é aplicado porque o Governo Federal não quer! 😡

😤 Em vez disso, ele infla a parte do lucro direcionada aos acionistas para tornar a Petrobras mais atrativa para a venda – incluindo a REGAP, sua refinaria mineira.

A Petrobras pode garantir um preço justo ao consumidor, mas é preciso que ela continue estatal e sob um governo que prioriza a população (coisa que o atual não faz)!

#PetrobrasFicaEmMinas #Petrobras #PetrobrasFica #OPetróleoÉNosso #DefendaAPetrobras

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *