Muitas pessoas não sabem que aquela história de que a Petrobras está quebrada é só mais uma farsa do Governo Federal e de setores que pretendem se apropriar do patrimônio brasileiro.

Pois é. A ideia deles é entregar a estatal de bandeja à iniciativa privada e às elites (política, social e econômica) de dentro e de fora do país.

Como a maioria dos brasileiros (quase 70%) defende a permanência da Petrobras, o plano do governo é fazer o povo crer que uma catástrofe ocorrerá se o Brasil não se livrar o mais rápido possível da companhia.

E uma das estratégias para justificar essa mentira é fazer com que a população acredite que a empresa está quebrada.

Se você ainda não acredita que essa é mais uma farsa que vai arruinar o Brasil, acompanhe, nas próximas linhas, os principais fatos que comprovam que a Petrobras nunca chegou perto de quebrar.

 

Estatal x empresa privada

Em primeiro lugar, tenha em mente que as motivações de uma estatal e de uma empresa privada são completamente diferentes.

Estatais, como a Petrobras, são criadas para gerarem desenvolvimento. Já empresas privadas nascem, todos os dias, para produzirem lucro para seus donos ou acionistas.

Dessa forma, não se mede o resultado de uma estatal só por lucro ou prejuízo, mas sim pelo desenvolvimento que ela causa à região onde está inserida e ao país como um todo.

A Refinaria Gabriel Passos (REGAP), por exemplo, é uma das quatro unidades da Petrobras instaladas em Minas Gerais.

É a maior recolhedora de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do estado (R$ 9,3 bilhões em 2018) e de Betim, onde está situada. Consequentemente, é a maior fonte de financiamento de serviços públicos e direitos essenciais para o povo mineiro.

Apesar de tamanha importância, foi colocada à venda porque o governo pretende focar apenas na extração e na venda de petróleo cru, reduzindo sua atuação.

Estranho, não?

Principalmente se levarmos em conta que a estatal dirige a renda do setor petroleiro em favor do povo brasileiro, e dá ao país condições de explorar e fabricar o próprio combustível.

 

Petrobras x gringas

A Petrobras está muito acima das maiores petroleiras privadas do mundo, em diversos aspectos. E isso é excelente para o Brasil, já que ela é estatal!

Veja alguns deles:

→ Geração Operacional de Caixa:

É o valor disponível em caixa após o pagamento de todos os custos e despesas da empresa, podendo ser usado para o pagamento de dívidas e dividendos, e investimentos.

Há anos, esse ponto é inabalável na Petrobras.

 

→ Liquidez corrente:

É a capacidade da empresa cumprir seus compromissos de curto prazo.

Desde 2012, a liquidez corrente da Petrobras é superior a 1,5. Isso significa que a estatal tem sempre R$ 1,50 disponíveis para cada R$ 1,00 que ela precise pagar.

Em relação às grandes petrolíferas privadas, é uma posição bastante confortável!

 

→ Classificação de risco:

O mercado financeiro confia na Petrobras. Sua classificação de risco atualmente é BBB.

 

Volume de recursos:

As gigantes petrolíferas norte-americanas, por exemplo, até têm receitas maiores que a da Petrobras. Porém, suas reservas estão encolhendo.

A estatal brasileira, por outro lado, mantém seu caixa elevadíssimo desde 2015, com projeções de ganhos altíssimos por décadas, especialmente por causa do Pré-sal.

E é justamente por causa do volume de recursos da Petrobras que os gananciosos estão de olho, pois isso mostra o quanto ela é rentável e segura (não quebra).

Então, se o caixa da estatal é elevado e sólido há tantos anos, não se justifica a venda de ativos (por exemplo, as refinarias, como a REGAP).

 

Que tal alguns dados?

O Brasil é um dos quinze países com as maiores reservas de petróleo do planeta (e de tempos em temos descobrimos novos poços), e a Petrobras é uma das dez maiores petrolíferas do mundo.

Nossas maiores reservas estão no Pré-sal e, em 2019, a estatal bateu o recorde de produção diária: quase 3 milhões de barris de petróleo de alta qualidade.

O setor de petróleo e gás já representou 13% do produto interno bruto (PIB) nacional e foi o principal motor do desenvolvido do país nas duas últimas décadas.

Em 2018, o lucro da Petrobras foi de R$ 25,7 bilhões. No mesmo ano, Minas Gerais recebeu um repasse recorde da Regap (R$ 9,3 bilhões). Em 2019, o lucro foi de R$ 40,1 bilhões.

A estatal tem um ativo total de R$ 924,47 bilhões, e um patrimônio líquido de R$ 309,75 bilhões, o que a torna a maior empresa do Brasil, dentre outros motivos.

Definitivamente, a Petrobras não está quebrada e nunca correu esse risco!

E enquanto permitirmos que esta farsa se espalhe, o futuro de Minas Gerais e do Brasil corre sério perigo.

Por isso, vem com a gente lutar contra a entrega do maior patrimônio do Brasil. A Petrobras é lucrativa, sim. E essencial para o nosso povo!

 

#PetrobrasFicaEmMinas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *